Novo e portentoso templo dos Arautos do Evangelho no Paraguai

 

               Às 11h do último domingo, 16 de dezembro, ocorreu a solene dedicação de um novo templo dos Arautos do Evangelho, desta vez no Paraguai. Localizado sobre a Rota Nacional 2 Km 44, na localidade de Ypacarai a 45 minutos de Assunção, a igreja está consagrada à Nossa Senhora do Bom Conselho, cumprindo desta maneira um voto feito pelo fundador da Associação, Monsenhor João Clá Dias, EP.
Novo e portentoso templo dos Arautos do Evangelho no Paraguai 1.jpg

               A cerimônia foi presidida por Dom Joaquín Hermes Robledo, Bispo de San Lorenzo, em cuja jurisdição está localizada a igreja. Acompanharam a Dom Robledo numerosos sacerdotes, tanto dos Arautos quanto diocesanos. Esteve presente o secretário da Nunciatura Apostólica.

              A estrutura da Igreja está concluída e adequada para a celebração do rito eucarístico, ainda que faltem vitrais e a conclusão de algumas torres. "Uma igreja neste estilo e com este tamanho, pode demorar 100 anos para ser concluída completamente, por isso ou se inaugura de uma vez, ou se corre o risco de nunca fazê-lo", comentou o Padre Kirthan, diretor da obra.
Novo e portentoso templo dos Arautos do Evangelho no Paraguai 2.jpg

               O interior da igreja, de céu estrelado e muito colorido -no estilo característico dos templos dos Arautos do Evangelho-, foi insuficiente para albergar os mais de 2 mil assistentes: alguns ficaram fora da igreja, mas participaram de toda a cerimônia em tendas instaladas sobre o gramado.

             Antes de iniciar, o Padre Carlos Tejedor, EP, superior dos Arautos do Evangelho na Colômbia e em representação ao Fundador dos Arautos, Monsenhor João Clá Dias, dirigiu umas palavras de boas vindas a todos e explicou o porquê de uma nova igreja, recordando o dito há vários séculos por Nossa Senhora de Guadalupe a São Juan Diego, de que lhe comunicasse ‘ao Senhor Bispo que Ela desejava que fosse construído um templo’. Também narrou o Padre Tejedor a história de Nossa Senhora do Bom Conselho de Genazzano, Itália, que teve lugar no século XV, explicando que a intenção do fundador é que cada um saia deste novo templo com um bom conselho em seu coração, que o ilumine em seu caminho até Deus.
Novo e portentoso templo dos Arautos do Evangelho no Paraguai 3.jpg


A cerimônia de dedicação

               Durante a cerimônia, Dom Robledo aspergiu água benta sobre os numerosos participantes, dentro e fora do templo, o que levou aproximadamente meia hora. Seguiu a parte central da ‘dedicação’ que é a bênção do altar que se unge com o Santo Crisma, simbolizando ao próprio Cristo ungido pelo Pai como único Sacerdote da Nova Aliança. A partir deste momento, o templo é digno do nome de igreja, porque suas pedras batizadas pela aspersão da água benta e consagradas pelo óleo, representam a assembleia dos eleitos unidos entre si e a Cristo, a Pedra Divina.
             Depois se procedeu a colocação sobre o altar de um braseiro para queimar abundante incenso, sinal de que o sacrifício de Cristo sobe até Deus com um suave aroma, junto com as orações dos fiéis. Em seguida foram incensados os fiéis.
Novo e portentoso templo dos Arautos do Evangelho no Paraguai 4.jpg

              O altar foi finalmente revestido como mesa do banquete sacrificial, e iluminado com as velas, ficando tudo pronto para a celebração da Missa.

             A base do templo foi feita com concreto armado e seu interior está em boa medida recoberto de belas lajes. O teto é azul, matizado por 200 mil estrelas, incrustadas em honra e símbolo da Santíssima Virgem Maria.
           A Igreja já está, pois, habilitada ao público. Ali se celebrará a Missa todos os domingos às 11h30. 
Paraguai – Assunção (Terça-feira, 18-12-2018, Gaudium Press

Veja o artigo: https://ift.tt/2SXPHwo

Anúncios
Etiquetado

Um Santo e Feliz Natal

 Vídeo: Os Cooperadores dos Arautos do Evangelho desejam-lhe um Santo e Feliz Natal

Acesse AQUI

Veja o artigo: https://ift.tt/2A0yfQz

Etiquetado

Nossa Senhora de Guadalupe


          Num sábado de mil e quinhentos e trinta e um, perto do mês de dezembro, um índio de nome Juan Diego, mal raiava a madrugada, ia do seu povoado a Tlatelolco, para participar do culto divino e escutar os mandamentos de Deus. Já amanhecia, quando chegou ao cerrito chamado Tepeyac e escutou que do alto o chamavam:
          – Juanito! Juan Dieguito!
          Subiu até o cimo e viu uma senhora de sobre-humana grandeza, cujo vestido brilhava como o sol, e que, com voz muito branda e suave, lhe disse:
           – Juanito, menor dos meus filhos, fica sabendo que sou Maria sempre Virgem, Mãe do verdadeiro Deus, por quem vivemos. Desejo muito que se erga aqui um templo para mim, onde mostrarei e prodigalizarei todo o meu amor, compaixão, auxílio e proteção a todos os moradores desta terra e também a outros devotos que me invoquem confiantes. Vai ao Bispo do México e manifesta-lhe o que tanto desejo. Vai e põe nisto todo o teu empenho.
            Chegando Juan Diego à presença do Bispo Dom Frei Juan de Zumárraga, frade de São Francisco, este pareceu não dar crédito e respondeu:

    – Vem outro dia, e te ouvirei com mais calma.
            Juan Diego voltou ao cimo do cerro, onde a Senhora do céu o esperava, e lhe disse:
            – Senhora, menorzinha de minhas filhas, minha menina, expus a tua mensagem ao Bispo, mas parece que não acreditou. Assim, rogo-te que encarregues alguém mais importante de levar tua mensagem com mais crédito, porque não passo de um joão-ninguém. Ela respondeu-lhe:
             – Menor dos meus filhos, rogo-te encarecidamente que tornes a procurar o Bispo Amanhã dizendo-lhe que eu própria, Maria sempre Virgem, Mãe de Deus, é que te envio.
             Porém no dia seguinte, domingo, o Bispo de novo não lhe deu crédito e disse ser Indispensável algum sinal para poder-se acreditar que era Nossa Senhora mesma que o enviara. E o despediu sem mais aquela.
             Segunda-feira, Juan Diego não voltou. Seu tio Juan Bernardino adoecera gravemente e à noite pediu-lhe que fosse a Tlatelolco de madrugada, para chamar um sacerdote que o ouvisse em confissão. Juan Diego saiu na terça-feira, contornando o cerro e passando pelo outro lado, em direção ao Oriente, para chegar logo à Cidade do México, a fim de que Nossa Senhora não o detivesse. Porém ela veio a seu encontro e lhe disse:
             – Ouve e entende bem uma coisa, tu que és o menorzinho dos meus filhos: o que agora te assusta e aflige não é nada. Não se perturbe o teu coração nem te inquiete coisa alguma. Não estou aqui, eu, tua mãe? Não estás sob a minha sombra? Não estás porventura sob a minha proteção? Não te aflija a doença do teu tio. Fica sabendo que ele já sarou. Sobe agora, meu filho, ao cimo do cerro, onde acharás um punhado de flores que deves colher e trazer-mo.
              Quando Juan Diego chegou ao cimo, ficou assombrado com a quantidade de belas rosas de Castela que ali haviam brotado em pleno inverno; envolvendo-as em sua manta, levou-as para Nossa Senhora. Ela lhe disse:
               – Meu filho, eis a prova, o sinal que apresentarás ao Bispo, para que nele veja a minha vontade. Tu é o meu embaixador, digno de toda a confiança.
               Juan Diego pôs-se a caminho, agora contente e confiante em sair-se bem de sua missão. Ao chegar à presença do Bispo, lhe disse:
               – Senhor, fiz o que me ordenaste. Nossa senhora consentiu em atender o teu pedido. Despachou-me ao cimo do cerro, para colher ali várias rosas de Castela, trazê-las a ti, entregando-as pessoalmente. Assim o faço, para que reconheças o sinal que pediste e assim cumpras a sua vontade. Ei-las aqui: recebe-as.

   Desdobrou em seguida a sua branca manta. À medida em que as várias rosas de Castela espalhavam-se pelo chão desenhava-se no pano e aparecia de repente a preciosa imagem de Maria sempre Virgem, Mãe de Deus, como até hoje se conserva no seu templo de Tepeyac.
                A cidade inteira, em tumulto, vinha ver e admirar a sua santa imagem e dirigir-lhe suas preces.
                Obedecendo à ordem que a própria Nossa Senhora dera ao tio Juan Bernardino, quando devolveu-lhe a saúde, ficou sendo chamada como ela queria: “Santa Maria sempre Virgem de Guadalupe”.
 (“Nican Mopohua”, 12ª edición, Buena Prensa, México, D.F., 1971, p. 3-19.21)

Veja o artigo: https://ift.tt/2Pzpa6z

Etiquetado

Uma dupla Missão, em Juiz de Fora – MG e Ewbank da Câmara – MG

Esta é a voz daquele que grita no deserto “Esta é a voz daquele que grita no deserto: ‘preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas’ ” (Lc 3, 4; Is 40, 3). Quem é aquele que grita, que clama no deserto? Nada mais nada menos que o Precursor, São João Batista. É ele […]

Veja o artigo: https://ift.tt/2SGBuE1

Etiquetado

A Imaculada Conceição de Maria

Vídeo AQUI
A esta criatura dileta entre todas, superior a tudo quanto foi criado, e inferior somente à humanidade santíssima de Nosso Senhor Jesus Cristo, Deus conferiu um privilégio incomparável, que é a Imaculada Conceição.

                O vocabulário humano não é suficiente para exprimir a santidade de Nossa Senhora. Na ordem natural, os Santos e os Doutores A compararam  ao sol. Mas se houvesse algum astro inconcebivelmente mais brilhante e mais glorioso do que o sol, é a esse que A imaculada Conceiçao comparariam. E acabariam por dizer que este astro daria d’Ela uma imagem pálida, defeituosa, insuficiente. Na ordem moral, afirmam que Ela transcendeu de muito todas as virtudes, não só de todos os varões e matronas insignes da Antiguidade, mas – o que é incomensuravelmente mais – de todos os Santos da Igreja Católica.

                Imagine-se uma criatura tendo todo o amor de São Francisco de Assis, todo o zelo de São Domingos de Gusmão, toda a piedade de São Bento, todo o recolhimento de Santa Teresa, toda a sabedoria de São Tomás, toda a intrepidez de Santo Inácio, toda a pureza de São Luiz Gonzaga, a paciência de um São Lourenço, o espírito de mortificação de todos os anacoretas do deserto: ela não chegaria aos pés de Nossa Senhora.
                 Mais ainda. A glória dos Anjos é algo de incompreensível ao intelecto humano. Certa vez, apareceu a um santo o seu Anjo da Guarda. Tal era sua glória, que o Santo pensou que se tratasse do próprio Deus, e se dispunha a adorá-lo, quando o Anjo revelou quem era. Ora, os Anjos da Guarda não pertencem habitualmente às mais altas hierarquias celestes. E a glória de Nossa Senhora está incomensuravelmente acima da de todos os coros angélicos.

Veja o artigo: https://ift.tt/2EjYe9K

Etiquetado

Eis que uma “estrela” surge na Serra da Cantareira!

Narra o evangelista são Mateus que, no tempo do rei Herodes, apareceram em Jerusalém uns magos vindos do oriente à busca de uma estrela (cf. Mt 2, 1) e que, depois de estarem com o monarca, esta ia diante deles até parar sobre o lugar onde estava o Menino Deus (cf. 2, 9). À maneira […]

Fonte: Paróquia Nossa Senhora das Graças https://ift.tt/2AWhAxi

Etiquetado

Viva Cristo Rei!

Uma esplendorosa procissão ocorreu na Vila Paula no último 25 de novembro, nela estavam presentes religiosos como são Bento e são Pio de Pietrelcina, mártires como são Tarcísio e são Thomas Morus, virgens como santa Maria Madalena, apóstolos, doutores e miríades de anjos! Além da coorte celeste, inúmeros fiéis da redondeza acorreram para aclamar a […]

Fonte: Paróquia Nossa Senhora das Graças https://ift.tt/2BQOO33

Etiquetado

Em Cruzeiro – SP, Missões Marianas na Paroquia Senhor bom Jesus

Uma exortação à vigilância: nisso se poderia resumir tanto a liturgia do 1º Domingo do Advento. É nada mais nada menos que a vigilância a nota tônica de um ano que se encerra e de outro que se inicia. No que consiste esta vigilância? O que significa vigiar? Lembremo-nos de que antes de ir para […]

Veja o artigo: https://ift.tt/2PeJ1rp

Etiquetado

Solenidade de Cristo Rei na Capela de São Paulo Apóstolo-Mairiporã

Vídeo: "Cristo Rei do Universo" foi comemorado pelos Arautos do Evangelho em suas múltiplas igrejas e capelas nas diversas cidades brasileiras onde a associação está estabelecida.
              Abaixo seguem alguns dos aspectos da procissão e bênção do Santíssimo Sacramento realizados na Capela de São Paulo Apóstolo, em Mairiporã-SP.
              Coooperadores Arautos de Nossa Senhora da Saúde e de outros sodalícios da Serra da Cantareira colaboraram vivamente para a homenagem a Nosso Senhor.

Acesse AQUI

Veja o artigo: https://ift.tt/2SspGVP

Etiquetado
Anúncios